segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Acreditar na verdade é destruir as possibilidades...

Um homem decidiu ir estudar com um mestre. Ele dirigiu-se à porta deste mestre.
“Quem é você, que pretende estudar aqui?” perguntou o mestre. O estudante disse ao mestre seu nome. “Isso não é quem você é, apenas como você é chamado. Quem é você, que pretende estudar aqui?” ele perguntou novamente. O homem pensou por um momento, e respondeu: “Eu sou um professor.” “Isso é o que você faz, não quem você é”, replicou o mestre. “Quem é você, que pretende estudar aqui?” Confuso, o homem pensou um pouco mais.
Finalmente, ele respondeu: “Eu sou um ser humano.” “Isso é somente sua espécie, não quem você é. Quem é você, que pretende estudar aqui?” perguntou o mestre de novo. Após um momento de reflexão, o professor respondeu: “Eu sou uma consciência habitando um corpo arbitrário.” “Isso é meramente o que você é, não quem você é. Quem é você, que pretende estudar aqui?” O homem estava ficando irritado.
“Eu sou…” ele começou a dizer, mas não conseguia pensar em mais nada para falar, então se dispersou. Após uma longa pausa, o mestre respondeu “Então você é bem-vindo aos estudos.”
Uma instrução: faça quatro coisas despropositadas a cada dia.
A perda de divindade: a circunferência pratica três comportamentos que causam a perda de divindade.

Consumo: nós consumimos demais porque nós acreditamos nos seguintes dois erros dentro do engodo:

1. Nós não temos o suficiente, ou não existe o suficiente;
2. Nós temos o que temos agora por sorte, e não seremos fortes o bastante mais tarde para obtermos o que precisamos.

A maioria das coisas não são dignas de consumo.

Preservação: nós preservamos as coisas porque acreditamos que somos fracos. Se as perdermos, não seremos fortes o bastante para ganhá-las novamente. Esse é o engodo.

A maioria das coisas não são dignas de preservação.

Aderência: nós seguimos o dogma para que possamos pertencer ao grupo e estar certos. Ou... nós seguimos a razão para que possamos pertencer ao grupo e estar certos.

Não há nada sobre o que estar certo. Pertencer ao grupo é a morte.

São os comportamentos de consumo, preservação e aderência que nos fazem perder nossa primalidade e, portanto, nossa divindade.

Alguma sabedoria: junte grandes riquezas. Nunca fique apegado ao que você possui. Esteja preparado para destruir tudo o que você possui.

Uma instrução: programe sua mente. Programe a realidade.

Durante uma lição, o mestre explicou o eu: “O eu é a voz da circunferência,” ele disse. Ao ser questionado por um estudante sobre o que isso queria dizer, o mestre disse: “É uma voz dentro da sua cabeça.”

“Eu não tenho uma voz dentro da minha cabeça,” pensou o estudante, e ele ergueu a mão para falar ao mestre. O mestre interrompeu o estudante e disse: “A voz que acabou de dizer que você não tem uma voz em sua cabeça, isso é o eu.” E os estudantes foram iluminados.

Uma instrução: questione todas as coisas; Descubra a verdade dentro de você; Siga a sua verdade; Não imponha nada aos outros.

Isso foi uma reprodução de Koans e traduções espalhadas pela internet, de autoria desconhecida, atribuídas à organização Cicada 3301.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.